Página Principal > Cardiologia > O que há de novo na Cardiologia? – Notícias do Scientific Session do American College of Cardiology / ACC

O que há de novo na Cardiologia? – Notícias do Scientific Session do American College of Cardiology / ACC

O 64th Annual Scientific Session do American College Of Cardiology ocorreu este ano em San Diego, entre 14 e 16 de março. Abaixo apresentamos os principais estudos apresentados e debatidos nestes três dias em que os principais temas em cardiologia são revistos:

Estudo PROMISE:

  • O que: Estudo Randomizado para avaliar qual a melhor maneira de abordagem diagnóstica para pacientes com angina estável: teste funcional ou anatômico?
  • Como: 10.000 pacientes, com moderada probabilidade pré-teste de DAC, com idade média de 61 anos avaliados inicialmente com Angio Tomografia Computadorizada ou teste funcional (67% Cintilografia com estresse, 22% Ecocardiograma com estresse e 10% teste ergométrico), em follow-up 25 meses.
  • Resultado: Desfecho primário (morte, IAM, internação por angina instável ou complicação em grande procedimento) ocorreu em 3,3% do grupo AngioTC e 3,0% no grupo teste funcional. Mais pacientes do grupo anatômico foram submetidos a angioplastia (12% 8%) e revascularização cirúrgica (6% vs. 3%).
  • Conclusão: Não houve diferença significativa. O custo/benefício deve ser avaliado na decisão médica.
  • Link: http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1415516

Estudo PEGASUS-TIMI:

  • O que: Avaliação do uso prolongado (por 3 anos) de dupla anti-agregação plaquetária em pacientes com IAM primário.
  • Como: Meta-análise de 54 estudos, 21162 pacientes, histórico de IAM com média de 1,7 anos antes do estudo, randomizados entre ticagrelor 90 mg 2x/dia, ticagrelor 60mg 2x/dia ou placebo, associado a baixa dose de aspirina.
  • Resultado: Ambas as doses de ticagrelor reduziram significativamente a taxa de desfecho primário (morte cardiovascular, IAM ou AVC), sendo o risco de morte entre ambas as doses de ticagrelor e o placebo de 7,8% 9%.
  • Conclusão: O tratamento por 3 anos reduziu as chances de desfecho primário, porém houve maior risco de sangramento no grupo que recebeu dupla anti-agregação (independente da dose do ticagrelor) e o grupo tratado com ticagrelor 90 mg 2x/dia apresentou maior incidência de dispneia.
  • Link: http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1500857

Estudo OSLER 1 e 2:

  • O que: Avaliação do uso de evolucumab (inibidor da PCSK-9) na redução do LDL placebo.
  • Como: Estudo randomizado, duplo cego, fase 3, com 2341 pacientes com hipercolesterolemia familiar heterozigota ou doença arterial coronariana diagnosticada, em 27 países, por 24 semanas.
  • Resultado: Redução de 61% nos níveis de colesterol no grupo que recebeu a droga contra 0,8% de aumento no grupo placebo. Eventos cardiovasculares foram maiores também no grupo placebo (4,6% 5,1%).
  • Conclusão: Os bons resultados iniciais trazem coragem em continuar o desenvolvimento de estudos com esta nova medicação.
  • Link: http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1500858

Estudo CSPPT:

  • O que: Administração de acido fólico diário para prevenção de AVC em adultos com hipertensão.
  • Como: Estudo randomizado, por 4 anos e meio de follow-up, com 20.000 pacientes hipertensos e sem história de IAM ou AVC, sendo administrado enalapril (no grupo controle) ou enalapril + acido fólico (0,8 mg).
  • Resultado: No acompanhamento, houve menor incidência de AVC no grupo da associação enalapril + acido fólico (2,7% 3,4%). O benefício foi maior quanto menor eram os níveis de folato sérico.
  • Conclusão: O estudo parece reforçar o resultado de estudos anteriores.
  • Link: http://jama.jamanetwork.com/article.aspx?articleid=2205876

Estudo PARTNER-1:

  • O que: Avaliação dos resultados 5 anos após troca valvar aórtica por via hemodinâmica em pacientes com estenose aórtica grave não elegíveis ao tratamento cirúrgico, em comparação ao grupo controle tratado apenas com balonamento da valva.
  • Como: Acompanhamento dos resultados apresentados 5 anos antes no ACC.
  • Resultado: A mortalidade no grupo tratado com troca valvar manteve-se maior do que no grupo que recebeu apenas o balonamento (68% 62%). Todos os pacientes não tiveram necessidade de nova abordagem para troca valvar. Regurgitação aórtica moderada ou severa foi maior no grupo de troca valvar.
  • Conclusão: Não há grandes diferenças de risco entre as duas abordagens. Muitos pacientes optam pelo procedimento menos invasivo, principalmente pelo maior risco em optar pela cirurgia.
  • Link: http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736%2815%2960308-7/abstract

Estudo de MATRIX:

  • O que: Avaliação da redução de mortalidade na angiografia (com angioplastia caso necessário) de pacientes com SCA via transradial transfemoral.
  • Como: Estudo randomizado, com 8404 pacientes com SCA, sendo submetidos a angiografia via transradial ou transfemoral.
  • Resultado: Desfecho primário (evento cardiovascular) foi maior nos primeiros 30 dias no grupo femoral (8,8% 10,3%), sangramento e todas as causas de mortalidade foram maiores também neste grupo (1,6% vs. 2,3% e 1,6% vs. 2,2%, respectivamente).
  • Conclusão: Houve menor ocorrência, estatisticamente significativa, de sangramento, eventos clínicos e mortalidade na abordagem transradial, porém não houve redução de ocorrência de IAM ou AVC.
  • Link: http://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736%2815%2960292-6/abstract

Conteúdo de cardiologia com WHITEBOOK!

Estudo BEST:

  • O que: Envolve dois estudos distintos comparando desfechos em pacientes com DAC multivasos sendo submetidos à angioplastia com colocação de stents de segunda geração (com everolimus) ou à cirurgia de revascularização miocárdica.
  • Como: O primeiro estudo é multicêntrico, randomizado, com 880 pacientes asiáticos com DAC multivasos, e o segundo estudo é observacional, baseado nos registro do estado de Nova York, com 18446 pacientes.
  • Resultado: No primeiro estudo, a revascularização completa foi alcançada em 72% dos casos de abordagem cirúrgica e 51% dos casos de angioplastia. O desfecho primário (morte, IAM ou nova revascularização) foi similar nos primeiros 2 anos de acompanhamento (Angioplastia 11% 8% cirurgia), porém, após 5 anos, houve diferença entre os grupos (15% vs. 11%), mais uma vez mostrando superioridade da abordagem cirúrgica. No segundo estudo, mortalidade e AVC, em até 30 dias após o procedimento, foram maior no grupo submetido a angioplastia (morte: 0,6% vs. 1,1% e AVC: 0,2% vs. 1,2%).
  • Conclusão: Desfechos iniciais parecem ter melhor resultado em pacientes submetidos a angioplastia. Porém, a longo prazo, principalmente quando considerados nova revascularização e IAM, a abordagem cirúrgica mostrou-se superior à angioplastia.
  • Link:

——————————

Legenda:

  • AVC: Acidente Vascular Cerebral
  • DAC: Doença Arterial Coronariana
  • IAM: Infarto Agudo do Miocárdio
  • SCA: Síndrome Coronariana Aguda

 

 

 

Comentários

Texto

Deixe uma resposta