Página Principal > Medicina Interna > Descubra se você comete erros médicos
triste

Descubra se você comete erros médicos

250-BANNER3Cada vez mais os médicos brasileiros tem sido alvo de inúmeros processos, nos últimos 4 anos esse número cresceu em 140%. Mas o que muitos não compreendem é que o erro médico nem sempre é pela má prática ou má fé.

Os erros podem ser distinguidos em erro honesto, onde acontece um acidente imprevisível e todo ser humano está passível, e o erro culposo, que provoca problemas que podiam e deviam ter sido evitados. Estes são divididos em três: erros de imperícia, de imprudência e de negligência.

Segundo o código de ética do CFM Negligência ou Imprudência são: Art. 1º – Causar dano ao paciente, por ação ou omissão, ou seja, causar dano não quer dizer que há intenção ou má fé.

A realidade é que apesar do avanço da medicina nas últimas décadas e por conta disso muitos pacientes não entendem que falhas acontecem, e que nem tudo que eles sonham em realizar ou acham que é possível realmente é. Mesmo com todo progresso a medicina ainda é realizada por seres humanos para seres humanos, todos com suas limitações, diferenças e complexidades

Para abordar melhor o tema ouvimos o Dr. Celso Murad, pediatra, formado pela Universidade Federal do Espírito Santo, presidiu o CRM-ES, a Associação Médica e o Sindicato dos Médicos do estado. Hoje é Conselheiro Federal pelo Espírito Santo e Vice Corregedor do CFM. Com toda a sua bagagem Dr. Celso falou sobre alguns motivos ocasionadores de erros médico, entre eles o crescimento de escolas de medicina.
“Com o aumento das escolas você cresce o número de médicos mal formados. Essas escolas particulares muitas vezes visam apenas o lucro e não da formação, não tem na qualidade do ensino como objetivo principal, sem contar que muitas delas não tem nem hospitais próprios.” Afirmou.

Outro fator levantado pelo Dr. Murad são as péssimas condições de trabalho dos hospitais públicos. Não é segredo para ninguém que o Brasil vive um de seus piores dias na saúde pública, hospitais fechando, outros sem medicamentos e insumos básicos. Só nos últimos sete anos o SUS perdeu cerca de 42 mil leitos, o que é extremamente preocupante já que em 2015 mais

de 500 mil brasileiros cancelaram seus planos de saúde, transformando mais pessoas dependente de um sistema de saúde público que vive com certo descaso e abandono. Para o Dr. Celso é muito fácil traçar um paralelo entre essa crise da saúde e as más condições de trabalho com os erros médicos.

“O governo pega essa mão de obra, mal formada e pouco preparada, com custo mais baixo e coloca para trabalhar nas emergências, local onde chegam os casos mais graves, com condições de trabalho ruim, aumentando o risco de um erro.”

500x250-banner1

Voltando para o início do texto encontramos um dos fatores que mais colaboram para os processos sobre a classe médica: a expectativa do paciente, por conta do avanço da tecnologia, sobre o profissional de saúde. Muitas vezes sem compreender as limitações da própria existência.

“Existe no imaginário das pessoas que o médico é capaz de tudo, com o avanço da medicina acham que se o médico não consegue a culpa é dele. Nós temos os nossos limites, temos que apresentar isso aos pacientes, entender o paciente como objeto de direito, respeitá-los dentro da sua vontade.” Dr. Celso Murad sobre a expectativa do paciente x realidade.

No Brasil, segundo o CFM, os recursos mais comuns contra médicos são urgência e emergência, maternidade e cirurgia plástica. As principais medidas para prevenir problemas futuros são:

l

É importante entender que o fato do médico ser responsável pelos seus atos não significa que ele é, necessariamente, culpado se um determinado procedimento não der certo. Você Doutor, procure sempre seus direitos, lute por condições justas para realizar o seu trabalho e mantenha sempre uma relação harmoniosa com seu paciente, aliás, medicina nada mais é que cuidar de pessoas.

Junte-se aos mais de 50 MIL médicos de todo o Brasil e mantenha-se atualizado. O aplicativo #1 dos médicos brasileiros!

Comentários

Texto

Deixe uma resposta