Página Principal > Medicina Interna > 5 condutas para mostrar que você se importa com o paciente
med (114)

5 condutas para mostrar que você se importa com o paciente

bVocê já parou para pensar por que alguns pacientes saem porta afora para nunca mais voltar – e alguns sem a menor razão aparente? Acontece com todo médico. E advogado, psicólogo, vendedor de shopping. Por que será que não foram quiseram retornar? O que impediu que enxergassem valor no serviço oferecido?

A gente sabe que, na correria impiedosa do dia a dia, muitos paciente se vão, e pouquíssimos médicos têm tempo, disposição ou mesmo conhecimento para se debruçar em análises sobre o comportamento do consumidor, vantagens competitivas, neuromarketing e influências sobre a percepção de valor. Se a gente for resumir essas teorias, chegaremos a um ponto: de uma maneira ou de outra, tudo é uma questão de ruído na comunicação. Listamos aqui 5 sinais de que você não está conseguindo comunicar aos seus pacientes o quanto se importa verdadeiramente com eles e sugestões de conduta para virar o jogo:

Sinal 1: ar de quem está pouco à vontade 

Pacientes costumam ficar à vontade quando confiam no médico É claro que dependendo do problema e da personalidade de cada um dos pacientes, esse “à vontade” varia bastante na escala.  Mas se não sorriem, evitam contato visual e estão sempre prestes a se levantar da cadeira, tem coisa errada aí.

Conduta: Deu uma olhada no espelho hoje? Não está com um ar muito cansado? Tem confessado a pacientes a rotina pesada a que se submete? Pense nisso. Ir a um médico e encontrá-lo com cara de anteontem e humor desanimado atrapalha a imagem do melhor dos profissionais e manda qualquer traço de empatia pro espaço.

Sinal 2: Sentimento de orfandade

Você virou noites estudando aquele caso; trocou mil opiniões com colegas, mas para o paciente só chegou a informação de que ainda não se sabe nada de novo sobre o problema dele. Ou ainda, vive lembrando dos pacientes na hora que está lendo artigos com novidades terapêuticas, mas não tem tempo de contar para eles. Desse jeito eles nem imaginam o seu empenho.

85000

Conduta: Tente travar um contato regular com seus pacientes por aplicativos profissionais de comunicação. Uma vez por mês já está valendo. Que tal enviar  conteúdos do interesse deles? E cumprimentar no aniversário também é uma boa pedida. Peça para secretária, se tiver uma, para fazer contato para lembrar das consultas ou saber como está sendo a troca do medicamento. Todo mundo quer se sentir lembrado. Se não tiver secretária, busque uma solução que permita automatizar essas notificações.

Sinal 3: resistência à secretária 

A função da secretária realmente é difícil. Ela precisa ser firme para colocar ordem na casa, sem perder a gentileza no trato dos pacientes. Tem gente que chega a desistir do médico por causa do perfil duro de uma secretária. Lembre-se de que a pessoa na recepção da sua clínica ou consultório é o seu cartão de visita.

Conduta: Converse abertamente sobre isso com a sua funcionária e não deixe de ouvir e incentivar os feedbacks de pacientes. Que tal enviar uma pesquisa de satisfação para seus pacientes?

 

Sinal 4: Estilo hora-da-xepa 

Ele reclama do preço, a cada consulta. E você, constrangido, fica ali sem saber o que fazer. Por que, afinal, na faculdade ninguém lhe ensinou a empreender sem culpa e, aquela negociação com o cliente faz você se sentir um mercantilista.

Conduta: Vire o jogo! Mostre que o seu serviço vale cada centavo da consulta. Reafirme seus diferenciais, todo o tempo de estudo dedicado, os cursos e congressos. Estratégias de marketing ético são muito bem-vindas – e-mail marketing regular contando as novidades, aplicativos profissionais para a comunicação em tempo real. Esteja presente na vida do seu paciente.

Sinal 4: Em um relacionamento sério com o Dr. Google 

Seus pacientes estão sempre consultando o Dr. Google para obter informações sobre o  problema deles  e, em nenhum momento, sequer perguntaram a você sobre fontes confiáveis de leitura? No fundo,  eles acreditam que você não se daria ao trabalho de orientá-los sobre como consumir informação de qualidade em saúde.

Conduta: Que tal se antecipar na orientação de conteúdos confiáveis para leitura? Baixe o WHITEBOOK e tenha os melhores conteúdos para sua rotina profissional!

Autor: Texto criado pelos nossos parceiros do Medicinia!

Comentários

Texto