Página Principal > Cardiologia > Apresentação clínica da insuficiência cardíaca (Condutas em cardiologia)
surgery-1049588_1280

Apresentação clínica da insuficiência cardíaca (Condutas em cardiologia)

bPublicamos esta semana a matéria Insuficiência Cardíaca: Quais drogas evitar no paciente? AHA responde!. Aproveitamos esse texto para trazer em nossa publicação semanal de conteúdos compartilhados do Whitebook Clinical Decision a apresentação clínica da IC.
As melhores condutas em Cardiologia você encontra no: Whitebook Clinical Decision! Baixe grátis. 
Este conteúdo deve ser utilizado com cautela, e serve como base de consulta. Este conteúdo é destinado a profissionais de saúde. Pessoas que não estejam neste grupo não devem utilizar este conteúdo.

Definição: Incapacidade do coração manter um débito cardíaco proporcional à demanda metabólica do organismo, ou quando o próprio só o faz à custa de aumento nas suas pressões de enchimento. O aumento na pré-carga (pressões de enchimento) e pós-carga (resistência vascular periférica) tendem a piorar ainda mais a função ventricular, por aumentar o estresse parietal e o consumo de oxigênio pelo miocárdio, sendo este o mecanismo de descompensação que caracteriza a insuficiência cardíaca aguda.

Apresentação Clínica:

Anamnese

Principais Sintomas: Dispneia aos esforços ou em repouso; piora recenete da ortopneia e dispneia paroxística noturna; dor ou desconforto torácico; palpitações; fadiga; piora do edema de membros inferiores.

Sintomas não-cardíacos: Anorexia, perda de peso, fadiga, fraqueza, náuseas, nocturia e sintomas neurológicos (em idosos, pode causar confusão mental, delirium, ansiedade, insônia, pesadelos e até psicose).

Exame Físico

Pacientes tipicamente taquidispneicos em repouso com uso de musculatura respiratória acessória, com recente piora clínica da ortopneia e dispneia paroxística noturna (achados mais específicos de insuficiência cardíaca aguda).

Aumento da Resistência Vascular Periférica: Pacientes podem apresentar taquicardia e hipertensão e evoluir para edema agudo de pulmão hipertensivo.

Hipervolemia e Congestão: Aumento das pressões de enchimento, apresentando turgência jugular patológica, com sinal de Kussmaul (aumento na pressão venosa durante a inspiração) e refluxo hepatojugular. Ausculta pulmonar revela estertores crepitantes que podem acometer da base ao ápice (caracterizando o edema agudo de pulmão).

Síndrome de Baixo Débito: Em pacientes com disfunção sistólica grave, o pulso pode ser fraco, rápido e filiforme, com hipotensão e taquicardia. Diante do paciente com IC aguda, indicam evolução para choque cardiogênico. Mesmo indivíduos normotensos podem apresentar hipoperfusão, devido a resistência vascular periférica aumentada.

ban

Síndrome de Congestão Sistêmica: Edema de membros inferiores, ascite, hepatomegalia, derrame pleural (geralmente bilateral) podem estar presentes, principalmente em portadores de insuficiência cardíaca crônica.

Exame Cardiovascular: Cardiomegalia; Presença de B3 (ritmo de galope protodiastólico); bulha pulmonar hiperfonética (sinal de hipertensão pulmonar); sopros de insuficiência mitral e tricúspide (durante a descompensação, devido a dilatação ventricular).

Caquexia cardíaca: Pacientes com insuficiência cardíaca de longa data, particularmente com predomínio de insuficiência ventricular direita, apresentam congestão de circulação esplâncnica hepática e intestinal, com síndrome disabsortiva, e consequente desnutrição e caquexia.

Fatores Precipitantes

Má aderência terapêutica: Principal causa de descompensação, seja por:

  • Ingestão hidrossalina excessiva (transgressão dietética);
  • Uso irregular da medicação;
  • Início ou aumento de dose recente de inotrópicos negativos ou uso inadvertido (bloqueadores de canais de cálcio e betabloqueadores);
  • Uso de anti-inflamatórios não esteroidais.

Causas Cardíacas:

  • Isquemia miocárdio (com ou sem infarto do miocárdio);
  • Doença valvar grave (regurgitação mitral aguda ou progressiva);
  • Arritmias (principalmente fibrilação atrial);
  • Uso de drogas cardiotóxicas (ex.: álcool e cocaína);
  • Cardiomiopatia induzida por estresse;
  • Progressão da doença.

Causas Não-cardíacas:

  • Infecção;
  • Iatrogenia (hidratação venosa exagerada);
  • Hipertensão arterial descontrolada;
  • Embolia pulmonar;
  • Injuria renal aguda;
  • Outros fatores (anemia, tireoidopatias).
Este conteúdo foi desenvolvido por médicos, com objetivo de orientar médicos, estudantes de medicina e profissionais de saúde em seu dia-a-dia profissional. Ele não deve ser utilizado por pessoas que não estejam nestes grupos citados, bem como suas condutas servem como orientações para tomadas de decisão por escolha médica. Para saber mais, recomendamos a leitura dos termos de uso dos nossos produtos.

Comentários

Texto

Deixe uma resposta