Página Principal > Cardiologia > Manteiga faz mal para a saúde? O que dizem as evidências

Manteiga faz mal para a saúde? O que dizem as evidências

Qual é o verdadeiro impacto que a manteiga tem sobre a saúde? Esse é um tema frequentemente debatido entre os profissionais de saúde. Tradicionalmente, a recomendação é limitar a ingestão de ácidos graxos saturados em favor dos insaturados. Como manteiga é um dos alimentos mais elevados em gordura saturada, o conselho dado tem sido de limitar seu consumo.

500x120-usuarios

A manteiga é mesmo prejudicial?

Comer manteiga aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares? Atualmente, nenhum estudo responde formalmente essa questão. Uma meta-análise publicada recentemente na revista PLOS One questiona a hipótese de que a manteiga tem um efeito prejudicial. Seus autores compilaram nove estudos observacionais realizados em 15 países para chegar a uma conclusão clara: consumir manteiga não está associada a um aumento no risco de doenças cardiovasculares. Eles também não encontraram nenhuma relação entre dose e efeito.

A grande mídia rapidamente usou esse estudo para exaltar as virtudes da manteiga, alegando que esse alimento injustamente acusado é benéfico para a nossa saúde, mas os profissionais de saúde ainda devem ser cautelosos ao orientar seus pacientes.

A meta-análise incluiu apenas estudos observacionais. Além disso, a maioria dos estudos analisados envolveu pessoas saudáveis e não pessoas em risco elevado de doenças cardiovasculares.

É importante ter sempre em mente que a manteiga é a gordura com o maior teor de ácidos graxos: 10g de manteiga contém 5g de gordura saturada. Por comparação, 10 g de azeite contém 1,5 g de gordura saturada.

Manteiga e os níveis de colesterol

Manteiga aumenta o nível de colesterol de lipoproteína de baixa densidade no sangue, mesmo quando consumido em quantidades moderadas. O que se sabe, em geral, é o potencial benefício da substituição de gorduras saturadas por insaturadas, especialmente quando estas últimas são fornecidas por óleos vegetais.

Alguns estudos promevem o consumo de manteiga por causa de seu alto teor de vitamina. Reconhecidamente, 100g de manteiga contém uma grande quantidade de vitamina A, mas esse benefício não é de grande valor, porque a manteiga é consumida em quantidades moderadas. Uma pessoa teria que comer 100g de manteiga por dia para obter a dose diária recomendada de vitamina A. A melhor maneira de conseguir a dose diária recomendada é comer frutas e legumes que contêm vitamina A.

Por isso, quando se fala de manteiga, o médico precisa ter uma discussão equilibrada, em linha com o conhecimento atual:

  • a manteiga não é necessária para manter uma boa saúde;
  • a manteiga é um dos alimentos com o teor de gordura saturada mais alto e consumí-la regularmente promove um aumento nos níveis de colesterol no sangue;
  • a manteiga não é um veneno. Não há, portanto, nenhuma justificativa para estigmatizar manteiga. Ela pode ser consumida em quantidades moderadas, mas não junto com outros alimentos que são ricos em ácidos graxos saturados.

250-BANNER3

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique Aqui!

Referências:

  • Pimpin L, Wu JH, Haskelberg H, Del Gobbo L, Mozaffarian D. Is butter back? A systematic review and meta-analysis of butter consumption and risk of cardiovascular disease, diabetes, and total mortality. PLoS One. 2016;11:e0158118.
  • Wang DD, Li Y, Chiuve SE, et al. Association of specific dietary fats with total and cause-specific mortality. JAMA Intern Med. 2016;176:1134-1145.
  • Butter and Health: What Does the Evidence Say?. Medscape. Aug 12, 2016.

Comentários

Texto

Deixe uma resposta