Página Principal > Colunistas > Associação entre parto cesáreo e risco de obesidade

Associação entre parto cesáreo e risco de obesidade

Um estudo publicado na JAMA Pediatrics em setembro de 2016 avaliou a associação entre via de parto e aumento do risco de obesidade na infância, adolescência e na vida adulta inicial.

500x120-assinatura

O estudo realizado foi de coorte prospectivo, com uma população de 22.068 crianças nascidas de 15.271 mulheres, incluídas de setembro de 1996 a dezembro de 2012. Foram realizados avaliações de follow-up via questionário nas idades de 9-14 anos até 20-28 anos.

Foram avaliados os desfechos de obesidade de acordo com o índice de massa corporal (IMC) pela idade, o risco de obesidade de acordo com a via de parto e diferenças entre o risco de obesidade em irmãos cujas vias de parto foram diferentes.

Veja também: ‘Dormir cedo na infância diminui o risco de obesidade na adolescência’

Foi observado no estudo que houve razão de risco ajustado maior para obesidade em crianças nascidas de parto cesáreo quando comparadas à crianças nascidas de parto normal (resultado estatisticamente significativo, com p = 0,002). A associação foi mais forte em crianças nascidas de parto cesáreo sem indicação formal. Além disso, crianças nascidas de parto cesáreo tiveram chance 64% maior de obesidade quando comparadas a seus irmãos nascidos de parto vaginal.

Os autores destacam que é necessário mais avaliações para se concluir as causas dessa associação. Porém, na atual discussão entre escolhas de vias de parto e seus benefícios e riscos, é importante que mais esse fator seja incluído como relevante na escolha para mães que desejam realizar cesárea eletiva, pesando os riscos e benefícios de tal escolha.

Autor:

doloreshenriques

250-BANNER5

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências:

  • Association Between Cesarean Birth and Risk of Obesity in Offspring in Childhood, Adolescence, and Early Adulthood. JAMA Pediatr. Published online September 06, 2016. doi:10.1001/jamapediatrics.2016.2385

Comentários

Texto

Deixe uma resposta