Página Principal > Colunistas > Recomendações para prevenção e controle da Influenza em crianças (2016-2017)

Recomendações para prevenção e controle da Influenza em crianças (2016-2017)

A Academia Americana de Pediatria (AAP) publicou em setembro de 2016, no formato online (que sairá em outubro desse ano no Pediatrics), as recomendações para prevenção e controle da Influenza em crianças, voltadas para os anos 2016 e 2017.

500x120-assinatura

A AAP recomenda a vacinação contra Influenza para todos com 6 meses ou mais, inclusive crianças maiores e adolescentes, sendo indicada tanto a vacina inativada trivalente quanto a tetravalente. Ressalta que a Influenza A 2016-2017 (H3N2) é diferente da administrada em 2015-2016, especificando a composição de cada uma.

Em relação às dúvidas quanto às crianças com alergia a ovo, esclarece que todas podem receber a vacina contra influenza sem precauções adicionais às da vacinação de rotina.

Destaca que todos os profissionais de saúde devem receber a vacina anual contra influenza, a fim de prevenir a doença e reduzir os cuidados de saúde relacionados com a infecção pelo vírus.

Veja também: ‘Pilares para tratamento do Influenza em pediatria’

Dentre a população importante para ser imunizada estão os seguintes grupos:

– todas as crianças, incluindo aquelas que nasceram prematuras, após completarem 6 meses de idade (respeitando a idade cronológica) com condições que aumentam o risco de complicações pela influenza (asma, DM, doença cardíaca com repercussão hemodinâmica, imunossupressão, ou alterações neurológicas ou do desenvolvimento);
– todos os contatos intradomiciliares e prestadores de cuidados de crianças com condições de alto risco e aqueles menores de 5 anos, especialmente crianças com menos de 6 meses;
– populações indígenas;
– todos os profissionais de saúde;
– todos os prestadores de cuidados infantis;
– todas as grávidas, além daquelas no pós-parto e em amamentação no período de influenza.

Quando avaliaram a última estação com predomínio da doença, foi visto que 80 a 85% das mortes pediátricas ocorreram em crianças não vacinadas com idade a partir de 6 meses. Nos últimos 10 anos, a taxa de hospitalização de crianças com menos de 5 anos excedeu a daquelas com 5 a 17 anos.

Com todas as considerações em relação aos tipos de vacina e seu impacto no dia a dia da sociedade, comparado com os problemas trazidos pela doença, relembram que a vacinação continua a ser melhor forma de prevenir a gripe.

E mais: ‘Vacinação contra influenza protege mãe e recém nascido’

Aqui no Brasil, o MS faz campanha anual contra a gripe, geralmente no mês de maio, buscando mobilizar a nação em torno dessa importante iniciativa. Pessoas com 60 anos ou mais, gestantes, puérperas com até 45 dias pós-parto, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, doentes crônicos, trabalhadores da saúde e populações indígenas são o público-alvo, assim como o recomendado pela AAP.

É possível ver todas as recomendações, especificações das vacinas, contraindicações das mesmas e uso de medicamentos antivirais clicando aqui.

Autor:

anapomodoro

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

banner250x250

Referências:

  • AAP COMMITTEE ON INFECTIOUS DISEASES. Recommendations for Prevention and Control of Infl uenza in Children, 2016–2017. Pediatrics. 2016;138(4):e20162527

Comentários

Texto

Deixe uma resposta