Página Principal > Ginecologia e Obstetrícia > Estudo associa enjoos e vômitos na gravidez a menor risco de aborto

Estudo associa enjoos e vômitos na gravidez a menor risco de aborto

Em um estudo recente, pesquisadores confirmaram que enjoos e vômitos durante a gravidez estão associados com uma redução de 50% a 75% no risco de aborto espontâneo. Os resultados podem oferecer mais segurança para as mulheres que experimentam esses sintomas difíceis.

500x120-amarelo

Os investigadores analisaram dados de 797 mulheres grávidas (idade média de 29 anos) com história de um ou mais abortos espontâneos. As participantes fizeram registros diários de náuseas e vômitos desde a concepção até a 8ª semana, e depois mensalmente.

De acordo com a análise, mulheres que apresentaram um ou ambos os sintomas durante a gravidez tinham metade da probabilidade de sofrer um aborto espontâneo, com uma taxa de 50% para apenas enjoo e 75% para enjoo com vômitos. Os resultados persistiram mesmo após a contabilização do estilo de vida da mãe e fatores fetais.

Outra conclusão do estudo foi que mulheres com menos de 25 anos eram mais propensas a sentir esses sintomas. Os resultados confirmam pesquisas anteriores, observam os autores.

250-BANNER2

Mais sobre cuidados na gravidez:

– Drogas antipsicóticas são seguras durante a gravidez?
– 5 dicas para falar sobre fertilidade com seus pacientes
– Bebês expostos a paracetamol no útero podem ter problemas comportamentais
– Veja recomendações para cuidar de pacientes com hiperêmese gravídica
– Zika afetará número de nascimentos no Brasil? Veja argumentos

O motivo para tal associação ainda é desconhecido, mas os pesquisadores acreditam que o mal estar pode proteger o feto de substâncias tóxicas presentes nos alimentos ingeridos pela mãe.

Os pesquisadores alertam também que, apesar dos sintomas representarem sinais positivos no início da gravidez, médicos não devem desencorajar as mães a buscar um tratamento para melhorar sua qualidade de vida.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Referências:

  • JAMA Intern Med. Published online September 26, 2016. DOI:10.1001/jamainternmed.2016.5641

Comentários

Texto

Deixe uma resposta