Página Principal > Saúde & Tecnologia > Propriocepção e Empreendedorismo. Qual a relação?

Propriocepção e Empreendedorismo. Qual a relação?

No texto publicado no mês passado falei sobre a difícil decisão de um médico se tornar empreendedor e deixei clara a minha opinião que empreendedorismo não é pra qualquer um. Veja bem, isso não quer dizer que ser empreendedor é superior. Como já disse, engana-se quem acha que a vida de empreendedor é maravilhosa. Apenas acredito que são necessárias características particulares, assim como para ser jogador de basquete ou cantor profissional.

500x120-assinatura

Por acaso você vê alguém dizendo por aí que todos que quiserem podem ser cantores? E será que se eu, do alto dos meus 1,72m, resolvesse ser jogador de basquete, você deveria me dar um tapinha nas costas e dizer “vá atrás do seu sonho”? Vamos falar a verdade e evitar que pessoas percam dinheiro e anos preciosos de suas vidas.

A geração dos anos 80 cresceu ouvindo “tudo o que eu quiser, o cara lá de cima vai me dar” e hoje são anabolizados com posts de “coachs” e essa onda de empreendedorismo de palco.

Como saber se você tem perfil empreendedor? Para isso, é necessário algo que os autores americanos chamam de self-awareness, ou na tradução para o português, autoconsciência. Eu gosto de chamar de propriocepção – em linhas gerais, é a capacidade do indivíduo perceber-se no espaço.

Proponho um teste. Veja em qual perfil você se encaixa.

O CRIATIVO: Você é aquela pessoa que vive tendo ideias de um produto, serviço ou aplicativo? Só de lembrar já fica empolgado. No entanto, nunca levou uma dessas suas ideias adiante. Sempre diz que falta tempo e/ou dinheiro. Pensar em largar um dos seus empregos “estáveis” para priorizar esse seu novo projeto e ainda torrar suas economias, definitivamente não lhe agrada. E sua vida segue.

O EXECUTIVO: Você trabalha em diversas clínicas e hospitais e percebe que poderia contribuir muito se estivesse em cargos de chefia, coordenação ou direção. Se sente capaz de liderar pessoas e resolver problemas inesperados, desde que tenha o suporte corporativo e financeiro necessários. Trabalhar com relatórios, planilhas e pressão para cumprir metas não é nenhum sofrimento, talvez você até goste.

O EMPREENDEDOR: Você é, antes de tudo, um realizador. Não importa se a ideia foi sua ou não. Se acredita que ela é viável você vai e faz acontecer. Veja esse exemplo:

Você trabalha em um pronto atendimento e atende dezenas de pacientes a cada plantão. Em conversa com outros médicos na hora do almoço, falam sobre como é difícil os pacientes conseguirem atendimento com especialistas na região.

Nesse momento você percebe que está diante de uma oportunidade real de negócio e não consegue pensar em mais nada. É uma espécie de transe. De repente, está rodando de carro pelo bairro em busca de imóveis disponíveis para locação, já mandou mensagem pro seu amigo designer criar a logomarca e está negociando com seus pais para serem fiadores do imóvel.

A obra começa, o dinheiro começa a ir embora, surgem problemas com pedreiros e fiscalizações, mas você não desiste, supera todos os obstáculos e em questão de semanas sua conta está mais magra, mas sua clínica está aberta. Ufa? Que nada, só o início de muitos outros problemas mas você está extremamente animado para superá-los.

E ai? Qual desses acima é mais parecido com você?

Caso seja o CRIATIVO, não precisa dar adeus aos seus planos de empreendedorismo. Apenas entenda que você precisa encontrar um sócio empreendedor, que conseguirá pôr em pé alguma de suas ideias. Por falar nisso, não se limite a contribuir somente com a ideia, isso costuma dar problema em pouco tempo. Talvez entrar como sócio investidor e seguir a sua vida profissional seja uma forma de se envolver com empreendedorismo respeitando as suas características pessoais.

Se você se identificou mais com o perfil EXECUTIVO, você é o público-alvo para os MBAs de gestão, cada vez mais comuns entre os médicos. Atenção na hora de escolher a instituição, faz toda a diferença. Inglês verdadeiramente fluente é condição sine qua non. Cursos em escolas da “Ivy League” te colocam duas posições na frente. E lembre-se, uma boa apresentação e networking são fundamentais.

Agora, se você está convencido que o seu perfil é EMPREENDEDOR você é espécie rara e merece ser desenvolvido. Um MBA pode até te ajudar mas você precisa ir, o mais cedo possível, para a vida real e praticar. Cuidado apenas para escolher projetos que tenham o tamanho adequado a sua fase de vida, pois caso tropece (você vai tropeçar) conseguirá se recuperar sem grandes traumas.

Propriocepção é o caminho para termos mais pessoas alcançando seu potencial, seja na música, esporte ou no empreendedorismo.

Autor:

vandercorteze

250x250-1

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Comentários

Texto

Deixe uma resposta