Página Principal > Cardiologia > Como descobrir a causa da parada cardiorrespiratória pelo traçado do ECG?

Como descobrir a causa da parada cardiorrespiratória pelo traçado do ECG?

Obter o retorno da circulação espontânea (RCE) numa parada cardiorrespiratória (PCR) é bastante desafiador, especialmente em ritmos não-chocáveis como assistolia e atividade elétrica sem pulso (AESP).

500x120-assinatura

Identificar a causa da PCR (e corrigi-la) é um ponto considerado chave por duas razões:

  1. Aumenta a chance de RCE (especialmente nos ritmos não-chocáveis)
  2. Pode prevenir nova PCR após RCE

A identificação da causa da PCR se baseia na busca dos 5 Hs e 5 Ts, a qual é feita geralmente pelo histórico do paciente, uma vez que a avaliação clínica é muito limitada tanto durante a PCR como no período imediato após RCE. Uma ferramenta que pode ajudar nesse diagnóstico diferencial é o traçado eletrocardiográfico identificado, o qual poderia dar “pistas” da causa da PCR conforme descrito abaixo:

Hipóxia: Bradicardia

Hipovolemia: Taquicardia com QRS estreito (sinusal)*

H+ (acidose): QRS de baixa amplitude

Hipotermia: Onda J de Osborn

Hipocalemia: QRS largo com onda T plana, onda U proeminente e QT longo

Hipercalemia: QRS largo com onda T apiculada, P pequena e padrão sinusoidal

Tamponamento: Taquicardia com QRS estreito (sinusal)* + alternância elétrica

Tromboembolismo pulmonar: Taquicardia com QRS estreito (sinusal)* + S1Q3T3

Trombose coronária: Alterações isquêmicas de ST e T

Pneumotórax: Taquicardia com QRS estreito (sinusal) ou bradicardia a depender do que predomine em cada caso (redução de pré-carga ou hipóxia, respectivamente).

Toxina: Variável de acordo com intoxicação mas comumente há QT longo

*Casos de AESP que iniciaram como taquicardia (Ex: hipovolemia), podem evoluir com queda da frequência cardíaca e assistolia na persistência da PCR.

Dica adicional: Além de ajudar no diagnóstico diferencial da causa da PCR, o ECG é útil também para definir prognóstico: QRS largo e com baixa frequência tem pior sobrevida que os casos com QRS estreito e frequência cardíaca normal/alta.

Quer ter acesso a centenas de posts gratuitos sobre cardiologia? Acesse: www.cardiopapers.com.br.

Autor:

Dr. Pedro Barros – Especialista em Cardiologia pelo Incor-HCFMUSP

250-BANNER5

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

 

Comentários

Texto

Deixe uma resposta