Página Principal > Neurologia > Imunoglobulinas no tratamento de doenças neurológicas

Imunoglobulinas no tratamento de doenças neurológicas

O uso de imunoglobulina humana por via endovenosa (IgIV) tem se mostrado um eficiente tratamento anti-inflamatório e imunomodulador para um número crescente de doenças neurológicas.

500x120-rosa

Apesar do seu uso generalizado e sucesso terapêutico, os mecanismos de ação de IgIV ainda são mal compreendidos. Veja os principais pontos para o uso imunoglobulina humana por via endovenosa, retirados do Boletim ABNews, da Academia Brasileira de Neurologia:

INDICAÇÃO

Com base em evidências de estudos controlados, as doenças neurológicas que podem ser tratadas com IgIV são:

  • Síndrome de Guillain-Barré
  • Polirradiculoneuropatia inflamatória desmielinizante
  • Neuropatia motora multifocal
  • Miastenia gravis
  • Dermatomiosite
  • Síndrome da pessoa rígida

DOSAGEM:

A dosagem habitual é de 0,4g/kg/dia. A dose total do primeira pulso de IgIV é de 2g/kg. A recomendação é que essa dose seja ministrada de três a cinco dias. A dose de manutenção deve ser indicada caso a caso.

APLICAÇÃO:

A aplicação pode ser feita em regime ambulatorial ou na residência do paciente. É recomendável que a primeira dose seja feita no hospital, por causa do risco de reações adversas. O uso domiciliar, ainda pouco difundido no Brasil, é mais seguro se usados infusões subcutâneas e autoadministráveis.

EFEITOS ADVERSOS:

Os principais efeitos colaterais do tratamento são: meningites assépticas, cefaleia, calafrios ou mialgia. Em migranosos, a infusão pode desencadear crises. Fadiga, febre, náusea e aumento da PA podem ocorrer nas primeiras 24 horas pós-infusão. Manifestações dermatológicas como eczema, prurido, petéquias e lesões cutâneas liquenoides também podem ocorrer. Em pacientes com algum grau de redução na função renal, a infusão poderia estar associada a necrose tubular aguda, reversível.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

250-BANNER2

Referências:

  • http://www.nature.com/nrneurol/journal/v11/n2/full/nrneurol.2014.253.html
  • Jornal ABNnews, setembro 2016: https://www.magtab.com/abnews/. Entrevista com médico Amilton Antunes Barreira

Comentários

Texto

Deixe uma resposta