Página Principal > Cardiologia > Edoxabana: o que saber sobre o novo anticoagulante disponível no Brasil
estatinas

Edoxabana: o que saber sobre o novo anticoagulante disponível no Brasil

Tempo de leitura: 2 minutos.

No dia 06 de março, a Anvisa aprovou a liberação de mais um novo anticoagulante oral (DOACs) no mercado brasileiro: a edoxabana, com o nome comercial de Lixiana®. Esta é um potente anticoagulante oral que atua na inibição do fator Xa. Portanto, atua no mesmo sítio que seus concorrentes já conhecidos: apixabana e rivaroxabana. Mas o que ela tem de diferente?

Primeiro de tudo, o trial! Com o nome de HOKUSAI-VTE (ano 2013), este ensaio selecionou 8.292 pacientes com idade superior a 18 anos e com o diagnóstico confirmado de Trombose Venosa Profunda (TVP) e/ou Embolia Pulmonar (EP) com disfunção miocárdica. De forma duplo-cego e randomizada, avaliou a eficácia e a segurança do uso da heparina por 5 a 12 dias, seguida de edoxabana versus tratamento padrão com heparina seguida de varfarina. Os resultados foram animadores.

Eficácia da edoxabana

Quanto a eficácia, a edoxabana 60mg ao dia após início do tratamento com heparina comprovou ser não inferior ao tratamento padrão com varfarina, com uma redução de risco de 11% em retromboses. Quanto ao sangramento, estes são divididos em maiores e menores. A edoxabana mostrou-se superior ao tratamento convencional, com redução de risco de 19% em qualquer tipo de sangramento e de 16% em sangramentos maiores.

A edoxabana tem biodisponibilidade de 62%, que é aumentado em até 22% quando ingerida com alimentos. Sua excreção renal é taxada em 50%, com meia vida entre 9-11h, e há interação com medicações que atuam via citocromo CYP3A4.

O fármaco virá com apresentação de comprimidos de 60mg e de 30mg. Como realizado no estudo HOKUSAI-VTE, deverá ser administrado 60mg 1 vez ao dia, após cinco dias de tratamento com heparina não-fracionada ou heparina de baixo peso molecular. Em caso de pacientes com insuficiência renal crônica (ClCr 15-50ml/min) ou peso inferior a 60kg, a dose recomendada é de 30mg ao dia.

Portanto, trata-se de uma alternativa interessante para anticoagulação oral que teremos no mercado brasileiro. Certamente foi testado em pacientes graves comprovados pelos elevados valores de BNP e teve resultados positivos. Fica a ressalva de que para iniciar este medicamento, deve-se introduzir inicialmente cinco dias de heparina.

LEIA MAIS: Manejo do sangramento nos pacientes usuários de anticoagulantes orais

Autor:

Gustavo Bomfim Dos Santos

Angiologista e Cirurgião Vascular / Endovascular / Doppler ⦁ Novo Clínica – Novo Horizonte/SP ⦁ IMV Campinas/SP

Referências:

  • The Hokusai-VTE Investigators. Edoxaban versus warfarin for the treatment of symptomatic venous thromboembolism. N Engl J Med 2013;369:1406-1415

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.