Página Principal > Cardiologia > Fumar aumenta o risco de fibrilação atrial?

Fumar aumenta o risco de fibrilação atrial?

Tempo de leitura: 2 minutos.

Tabagismo não causa apenas câncer; dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que fumar mata 3 milhões de pessoas todos os anos só por doença cardiovascular. Em novo artigo do European Journal of Preventive Cardiology, publicado em julho, pesquisadores investigaram a relação entre o tabaco e o risco de fibrilação atrial.

Para essa revisão sistemática e meta-análise, dados do PubMed e Embase foram utilizados para encontrar ensaios sobre tabagismo e fibrilação atrial (FA) desde a origem até julho de 2017. No total, 29 estudos prospectivos (22 publicações) foram incluídos.

Tabagismo aumenta o risco de FA?

O risco relativo de FA foi de 1,32 (IC 95%: 1,12 a 1,56; I² = 84%; n = 11 estudos) para fumantes atuais, 1,09 (IC 95%: 1,00 a 1,18; I² = 33%; n = 9) para ex-fumantes e 1,21 (IC 95%: 1,12 a 1,31, I² = 80%; n = 14) para indivíduos que já fumaram em relação aos que nunca fumaram.

Na comparação fumantes atuais versus ex-fumantes, o risco relativo de FA foi de 1,33 (IC 95%: 1,14 a 1,56; I² = 78%; n = 10). O risco relativo foi de 1,14 (IC 95%: 1,10 a 1,20; I² = 0%; n = 3) por 10 cigarros por dia e 1,16 (IC 95%: 1,09 a 1,25; I² = 49%; n = 2) por 10 maços-ano.

Para os autores, esses achados mostram que o tabagismo está associado a um aumento do risco de fibrilação atrial e essa associação é mais forte em fumantes em comparação aos ex-fumantes.

LEIA MAIS: Burden de fibrilação atrial – você sabe o que é e qual a sua importância?

Cessação do tabagismo

Deixar de fumar é uma tarefa árdua, pois a dependência do tabaco envolve um conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e fisiológicos. Poucos usuários de tabaco conseguem abandonar o hábito em sua primeira tentativa, mas há fortes evidências de que isso é possível. Aconselhamentos, medicamentos, grupos de tabagismo, existem inúmeras maneiras eficazes para sair.

Um estudo publicado no Journal of the American Medical Association comparou três intervenções para cessação do tabagismo:

  • Adesivo de nicotina (monoterapia)
  • Associação de terapias para reposição de nicotina
  • Vareniciclina

Todas as abordagem apresentaram bons resultados quando associadas a uma estrutura adequada de apoio psicossocial e acompanhamento, além e acima de tudo a vontade do paciente em querer interromper o tabagismo.

Tenha sempre condutas atualizadas na sua mão! Baixe gratuitamente o Whitebook.

*Esse artigo foi revisado pela equipe médica da PEBMED

Referências:

  • Tobacco smoking and the risk of atrial fibrillation: A systematic review and meta-analysis of prospective studies. Dagfinn Aune, Sabrina Schlesinger, Teresa Norat, and Elio Riboli. European Journal of Preventive Cardiology. First Published July 11, 2018. https://doi.org/10.1177/2047487318780435

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.