Página Principal > Colunistas > Quais são as condições dermatológicas mais comumente encontradas no CTI?
estetoscopio

Quais são as condições dermatológicas mais comumente encontradas no CTI?

Tempo de leitura: 2 minutos.

A prática da dermatologia é baseada principalmente no cenário ambulatorial. No entanto, o conhecimento dermatológico ainda é necessário para pacientes internados, e o espectro de condições da pele no ambiente de terapia intensiva não é bem relatado na literatura. Desta forma, os autores do artigo “Spectrum of dermatological conditions seen in the intensive care unit” fizeram uma revisão sobre os dados retrospectivos de 109 pacientes admitidos de janeiro de 2009 a dezembro de 2013 (inclusive) em um hospital terciário em Cingapura.

A maioria dos casos apresentou a farmacodermia como condição dermatológica mais comum (27,8%), dos quais o mais frequente foi o exantema. Dentre as principais drogas implicadas estavam:

  • Antibióticos;
  • Antiepiléticos;
  • Anti-inflamatórios não-esteroidais.

Uma proporção significativa (34,3%) dos pacientes com farmacodermia teve reações com risco de vida, incluindo a necrólise epidérmica tóxica e a reação a drogas com eosinofilia e sintomas sistêmicos. Os pacientes admitidos na UTI costumam ter múltiplos medicamentos, e a “polifarmácia” é um fator de risco conhecido para o desenvolvimento de reações cutâneas.

LEIA MAIS: Dermatologia pediátrica – tudo que você precisa saber

Os sinais cutâneos das doenças sistêmicas foram as próximas condições dermatológicas mais comumente diagnosticadas na UTI. Isso sugere que as manifestações cutâneas como um sinal clínico devem ser levadas em conta para ajudar no diagnóstico.

Entre outras patologias, estão:

  • Eczemas/Dermatites;
  • Outras condições dermatológicas inflamatórias;
  • Buloses;
  • Infecções de pele (virais, bacterianas e fúngicas).

O espectro de condições dermatológicas observadas na UTI foi diferente do observado nos encaminhamentos normais e no departamento de emergência (DE).

Além disso, através desse estudo, os autores perceberam que apenas uma pequena proporção das condições dermatológicas é encaminhada aos dermatologistas, o que pode ser devido à falta de reconhecimento dessas alterações.

LEIA MAIS: Você sabe reconhecer e tratar as 30 afecções dermatológicas mais comuns na infância? 

Em conclusão, as patologias dermatológicas na UTI não são comuns, mas devem ser tratadas com seriedade, pois têm implicações tanto para a condição de base do paciente quanto para o tratamento. A detecção precoce pode ajudar a reduzir a morbidade, e, além disso, os distúrbios dermatológicos estão associados ao aumento da duração da ventilação e da hospitalização. Há uma pobre concordância nos diagnósticos entre dermatologistas e não dermatologistas, portanto, há um papel para esse especialista na UTI para ajudar no diagnóstico e no manejo das condições dermatológicas.

É médico e também quer ser colunista do Portal da PEBMED? Inscreva-se aqui!

Autor:

Referências:

  • Tham WY, Koh HY, Lee HY. Spectrum of dermatological conditions seen in the intensive care unit. Clin Exp Dermatol. 2016 Dec;41(8):920-921. doi: 10.1111/ced.12901. Epub 2016 Oct 27.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.