Página Principal > Colunistas > Semelhanças entre vulvodínea e cistite intersticial: muito além da dor na penetração
medica usando um tablet

Semelhanças entre vulvodínea e cistite intersticial: muito além da dor na penetração

Essa semana recebi três casos de vulvodínea, uma chegou com diagnóstico apenas de cistite intersticial, outra sem diagnóstico algum, desesperada, e a terceira, o diagnóstico foi feito apenas pela fisioterapeuta, mesmo após consultar vários médicos.

A Cistite Instersticial é uma doença crônica e complexa onde ocorre inflamação na parede da bexiga, podendo provocar espessamento da parede vesical, diminuindo a sua capacidade, associada a pontos de sangramento, aumento da frequência urinária, com dor a miccção e dor durante o ato sexual na ausência de infecção urinária ou outras doenças do trato urinário.

De forma semelhante a vulvodínea, também está associada a dor persistente vulvar, desconforto no ato sexual e de origem desconhecida Anteriormente eram encaradas como doenças raras, porém os estudos epidemiológicos recentes sugerem que não só são sim mais frequentes, como é bastante comum a associação dessas duas patologias.

Processo anormal de dor sugerindo sensibilização neuronal: a dor em ambas parece ser de origem neuropática. A correlação pode existir pela origem embriológica comum dos tecidos e suas características, podendo justificar também a queixa de dor uretral comum nas duas patologias. Um aumento de mastócitos com liberação de histamina foi identificado em pacientes com vulvodínea. Esse seria o mecanismo responsável por estimular neurônios periféricos aumentando a sensibilidade a dor na região.

As melhores condutas médicas você encontra no Whitebook. Baixe o aplicativo #1 dos médicos brasileiros. Clique aqui!

Evitação de atividade sexual é comum decorrente da dor. Muitas vezes pode ser a queixa que leva a paciente ao consultório. Cabe ao médico investigar a presença ou não dos demais sintomas para fechar o diagnóstico correto.

Abordagem multidisciplinar com urologista, ginecologista, psicoterapia e terapia sexual é fundamental para o sucesso do tratamento das várias facetas da dor urogenital crônica e as alterações sexuais.

Os antidepressivos tricíclicos são frequentemente usados no tratamento de doenças associadas a dor crônica com componente neuropático. Os mais usados para vulvodínea e cistite intersticial são amitriptilina e nortriptilina.

Muitas semelhanças existem entre vulvodínea e cistite intersticial incluindo apresentação clínica, comorbidades e tratamento. Reconhecer o envolvimento neuropático e sensibilização central evolui as possibilidades de tratamento e desenvolvimento de novas abordagens.

Mais da autora: ‘LARC: por que escolher esse método contraceptivo?’



Autora:

Referência:

  • Transl Androl Urol. 2015 Dec;4(6):643–652.doi:10.3978/j.issn.2223-4683.2015.10.09 PMCID: PMC4708545 Similarities between interstitial cystitis/bladder pain syndrome and vulvodynia: implications for patient management.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *